19ª Legislatura 2019 - 2022

Notícia

Deputadas visitam empresa de cosméticos e buscam parcerias para ampliar o empoderamento

19/08/2019 21h40 - Atualizada em 19/08/2019 11h16
Por Mara Barcellos - AID - Comunicação Social

Ampliar imagem
Ampliar imagem
Ampliar imagem
Ampliar imagem
Ampliar imagem
Ampliar imagem
Ampliar imagem
Ampliar imagem
Ampliar imagem

Conhecer as experiências exitosas, os projetos e programas da empresa de cosméticos Natura desenvolvidos com comunidades paraenses e  a política de valorização da mulher praticada pela instituição foram os objetivos da visita realizada nesta segunda-feira (19.08) por um grupo de deputadas à sede do EcoParque, unidade industrial conceitual, localizada no município de Benevides, Região Metropolitana de Belém.   

A visita foi uma iniciativa do Núcleo de Enfrentamento à Violência Contra a Mulher (NEVM), do Ministério Público do Estado do Pará (MPPA), liderada pelo promotor de justiça Franklin Lobato Prado, que está trabalhando em parceria com a Bancada Feminina da Assembleia Legislativa do Pará (Alepa) na elaboração de uma política estadual de empoderamento da mulher, que visa o atendimento psicológico, jurídico e a qualificação de vítimas de violência doméstica para atividades de geração de emprego e renda.

A Lei - A proposta da nova lei tem como base os sete princípios para o empoderamento feminino estabelecidos pela Organização das Nações Unidas (ONU-Mulher) e o Pacto Mundial da ONU, tais como: a) estabelecer liderança corporativa de alto nível para a igualdade de gênero; b) tratar todos os homens e mulheres de forma justa no trabalho – respeitar e apoiar os direitos humanos e a não discriminação; c) garantir a saúde, a segurança e o bem - estar de todos os trabalhadores e trabalhadoras; d) promover a educação, a formação e o desenvolvimento profissional das mulheres; e) implementar o desenvolvimento empresarial e as práticas da cadeia de suprimentos e de marketing que empoderem as mulheres; f) promover a igualdade através de iniciativas e defesa comunitária; g) mediar e publicar os progressos para alcançar  a igualdade gênero.  

No primeiro momento, o grupo de deputadas, formado pela Dr Heloísa Guimarães, Michele Begot, professora Nilse Pinheiro e Renilce Nicodemos, foi recebido pelo gerente institucional da empresa, José Mattos Neto, o qual apresentou um panorama sobre a trajetória da empresa, a presença da marca no mercado da beleza e ações regionais executadas com foco socioambiental, cuja missão é promover uma vida de beleza, prazer e sustentabilidade e, ao mesmo tempo, promover o empreendedorismo social.

Em seguida, toda a comitiva presente conheceu de perto o parque industrial onde são produzidos sabonetes exportados para vários países.   

Representando a empresa, José Neto destacou que a política de trabalho da Natura busca equilibrar a sustentabilidade com práticas de igualdade de gênero e empoderamento feminino. Ele informou que na unidade de Benevides, as mulheres representam 61% na linha de produção e 50% ocupam cargos de lideranças, dentro do universo de 333 colaboradores.

Com o objetivo de buscar estruturar uma política sólida para fortalecer o empoderamento feminino no Pará, a partir de novas parcerias que venham garantir geração de renda às mulheres vítimas de violência doméstica, a deputada Heloísa Guimarães reiterou a importância da proposta e a política de emprego da empresa.

“É muito importante destacar que nós, da bancada feminina, estamos empenhadas em colocar em prática os nossos discursos. E essa visita é um um exemplo disso. Visitamos uma fábrica em que mais de 50% dos cargos de chefia são  liderados por mulheres, que se preocupa em gerar emprego. Nossa intenção é garantir subsídios às mulheres que estão sob medidas protetivas e a Natura vai entrar nesse projeto de parceiros”, destacou.      

Para a deputada Renilce Nidocemos, a união fortalece a política da rede de  empoderamento. "Essa união de  deputadas faz a diferença e traz força ao movimento, e isso é importante para nós. Somos defensoras das mulheres paraenses. O empoderamento está crescendo e nós temos que fortalecer essa política. Acredito que, com o apoio do Ministério Público, Tribunal de Justiça, e agora da Natura, vamos poder fazer muito mais pelas nossas mulheres paraenses”, evidenciou.         

A deputada Michele Begot disse que as parcerias poderão trazer novas perspectivas às mulheres paraenses. “Podemos ver aqui um belo exemplo de empoderamento feminino, em que as mulheres são maioria entre os funcionários. Podemos trabalhar de forma conjunta e assim vamos estabelecer novas políticas que venham garantir mais direitos ao público feminino do Pará”, ressaltou.   

De acordo com a deputada professora Nilse Pinheiro, a troca de experiências vai promover  o fortalecimento do debate de novas políticas. “O propósito dessa visita é conhecer a dinâmica da instituição para ver como ela trabalha a questão do empoderamento. É uma empresa que está exportando ideias e produtos e também tem muito a nos ensinar. Temos que pensar não só em gerar oportunidades de negócios, de empregabilidade, mas é importante destacar a parte salarial também, e aqui nós vimos uma política em que 50% dos cargos são gerenciados por mulheres. Essa parceria representa um novo momento para bancada feminina e para as mulheres”, observou.       

Cooperação - No encontro, as parlamentares firmaram compromisso em apoiar a parceria de cooperação estabelecida entre o Ministério Público Estadual e a Secretaria de Estado de Assistência Social, Trabalho, Emprego e Renda, com o objetivo de fazer o enfrentamento da violência contra a mulher, a fim de promover educação, formação e o desenvolvimento profissional de mulheres expostas à violência doméstica.         

“Nós só vamos vencer esse problema com políticas de qualificação e empregabilidade. A participação da Alepa é fundamental, é apropriado porque temos a representatividade de 10 parlamentares femininas, o que nos garante apoio para transformar o projeto em lei e obrigar os poderes públicos a se adaptarem às novas políticas de empoderamento feminino”,  esclareceu o promotor.       

A iniciativa será usada como modelo para outros projetos que serão  apresentados na Alepa e já estão em execução, para buscar políticas públicas e agregar atividades de qualificação de parceiros dispostos a trabalhar em prol de mulheres vítimas de violência doméstica e situação de vulnerabilidade social. 

Socioambiental - Com a criação do Programa Amazônia, em 2011, a empresa desenvolveu a área de geração de negócios sustentáveis na região, atuando diretamente com 33 comunidades que fazem a extração e o fornecimento de  matérias-primas para a produção de cosméticos, tendo como produto principal a linha de sabonetes. Essa cadeia produtiva beneficia  2. 841 famílias, além de contribuir com técnicas produtivas para a conservação de 1,8 milhão de hectares de floresta em pé e, consequentemente, na  redução do desmatamento. Os resultados desse modelo de empreendedorismo social geraram mais de R$ 1,2 bilhão em volume de negócios no período de 2010 a 2017.

“Com muita satisfação, vejo um grupo  de mulheres parlamentares comprometidas em fomentar a parceria, juntamente com o Ministério Público e com empresas privadas como a Natura. E a nossa expectativa é estar cada vez mais presentes no coração e na mente do paraenses e cada vez mais ampliar esse trabalho conjugado com entes públicos avançando em políticas públicas”, concluiu o gerente da Natura.         

Segundo Rebeca Hesketh, Secretária Legislativa da Alepa, o momento significa união para fomentar oportunidades de valorização  feminina no Estado. “Fico muito feliz em ver que o Estado tem uma empresa como a Natura, que realmente desenvolve práticas de sustentabilidade e fomenta a inclusão social com os grupos vulneráveis. E a Alepa vem somar a esse projeto do Ministério Público com outros entes públicos para fortalecer a política pública de empoderamento às mulheres”, finalizou.        

A Empresa - Em 2019, a Natura celebra 50 anos de fundação. Com meio século de existência, a empresa é a maior multinacional brasileira de cosméticos. Iniciou as atividades em 1969, quando Luiz Seabra inaugurou uma pequena loja na rua Oscar Freire, no centro de São Paulo. Em 1974, começou a trabalhar com a venda direta, um novo modelo de negócios que atualmente conta com   1,7 milhão consultoras de beleza na América Latina, considerada a força motriz do negócio.

 

Palácio Cabanagem - Rua do Aveiro,130 - Praça Dom Pedro II, Bairro Cidade Velha - 66020-070
(91) 3213-4200
AID - Assessoria de Imprensa e Divulgação - Email: imprensa@alepa.pa.gov.br | Sistemas
Ouvidoria: ouvidoria.alepa.pa.gov.br

Todos os Direitos reservados | 2019