19ª Legislatura 2019 - 2022

Notícia

Nota de Repúdio pelo feminicídio de Josiane Silva

07/04/2020 16h57 - Atualizada em 14/07/2020 16h57
Por Helena Saria - Procuradoria Especial da Mulher

Ampliar imagem

A Procuradoria da Mulher repudia, com grande veemência, o crime cometido contra Josiane Silva por seu marido, e que lhe tirou a vida, no começo da tarde da última segunda-feira, 6, em Ananindeua.

Josiane da Rocha Silva. Esse é o nome da mulher de 38 que foi assassinada pelo marido, pai do seu filho. Josi foi morta dentro do banheiro de casa, na rua Itabira, perto da estrada do Maguari.

Ela não é um número, nem um traço em uma planilha do mapa da violência.

Ela é uma mulher, mãe de um menininho de 4 anos, supervisora de um loja de celular em um shopping. Ela tinha colegas de trabalho, tinha uma rotina com o filho, tinha família. É preciso humanizar as mulheres que são vítimas de violência, enxergar quem elas são de fato. Josi era uma mulher e só por isso merecia viver, merecia criar seu filho, merecia terminar esse banho e sentar para almoçar em paz.

Mas não foi isso que aconteceu, pois ela é mulher. E de acordo com a violência patriarcal, a vida dela vale pouco, e por isso sua vida foi ceifada dessa forma. No intervalo do almoço, no meio do banho, por um marido insatisfeito com uma possível separação, que não aceitou que as coisas não andassem do seu jeito.

Mais uma criança órfã, mais uma mãe e um pai que vão chorar sua filha morta. Mais um homem violento que não suportou ser contrariado, mais uma vida que o patriarcado levou para sempre.

É por causa de histórias como a da Josi que a Procuradoria da Mulher existe, para lutar pela vida de todas as mulheres, para propor e acompanhar projetos de lei que protejam a vida e a dignidade de todas as mulheres que vivem no Pará.

A Procuradoria Especial da Mulher expressa sua solidariedade aos familiares e amigos da Josi e à toda sociedade, reiterando o repúdio a todo ato de violência contra a mulher e mantendo-se firme no combate, prevenção e enfrentamento desse tipo tão cruel de violência.

Se você for vítima ou testemunha de qualquer tipo de violência, não se cale. Denuncie.

Ligue 181 ou mande mensagem pelo whatsapp 98115.9181 (atendente virtual Iara).

#promulher #alepa

Palácio Cabanagem - Rua do Aveiro,130 - Praça Dom Pedro II, Bairro Cidade Velha - 66020-070
(91) 3213-4200
AID - Assessoria de Imprensa e Divulgação - Email: imprensa@alepa.pa.gov.br | Sistemas
Ouvidoria: ouvidoria.alepa.pa.gov.br

Todos os Direitos reservados | 2019