19ª Legislatura 2019 - 2022

Notícia

Deputados debatem políticas de prevenção ao suicídio no Pará

24/05/2022 20h06 - Atualizada em 24/05/2022 20h53
Por Rosa Alexandre - AID - Comunicação Social

A ocorrência de 3 casos de suicídio em Belém e outros 3 casos na cidade de Redenção durante esse mês comoveu a sociedade e os deputados estaduais. O assunto foi alvo de pronunciamentos entre os parlamentares no Plenário Newton Miranda, nesta terça – feira (24.05)


O presidente da Comissão de Saúde, deputado e médico Jaques Neves chamou a atenção dos veículos de comunicação do Estado para seguir as orientações do Manual de Divulgação de Suicídio, produzido pela Organização das Nações Unidas (ONU). O manual orienta que os meios de comunicação de massa evitem divulgar esses fatos: "Faço um apelo à imprensa paraense, que não fale do suicida e nem do local onde aconteceu o fato, em nome das famílias que sofrem ou que tiveram tentativas de suicídio".


Em 2000, a Organização Mundial da Saúde (OMS) publicou o documento intitulado de "Prevenção ao suicídio: um manual para profissionais da mídia", destinado aos jornalistas e profissionais da mídia. A partir dessa data, a imprensa mudou sua maneira de relatar o assunto.

Deputado Dr. Galileu

O deputado doutor Galileu disse que aumento dos casos de suicídio está relacionado aos problemas de saúde mental e emocional, sobretudo durante a pandemia. Galileu propôs a criação de uma comissão de estudos para acompanhar os casos de suicídio que vem ocorrendo no Pará.

"Esta pandemia causou um dano muito grande à saúde mental na população. Percebemos que várias pessoas desencadearam doenças mentais como esquizofrenia, depressão e outras doenças mentais e a saúde pública não consegue atender as demandas dos municípios. Como aqui é uma casa plural, proponho criar uma missão para estudar esses casos", destacou.


Para alguns deputados, os Centros de Atendimento Psicossocial - CAPS, que atendem pacientes com transtornos mentais, ainda não são insuficientes para atender toda a demanda existente no Estado. Os CAPS ainda não têm uma infraestrutura adequada para oferecer esse atendimento.

Deputado Carlos Bordalo
O presidente da Comissão de Direitos Humanos e do Consumidor do Poder Legislativo, deputado Carlos Bordalo, relatou os trabalhos da comissão para aperfeiçoar os serviços desses Centros. "No meio da pandemia, criamos um grupo de trabalho técnico para atender as demandas dos Caps. Temos uma proposta de lei estadual específica de saúde mental e duas emendas parlamentares, uma de minha autoria, no valor de R$ 170 mil e outra compartilhada entre os deputados, para a requalificação dos centros de apoio em Belém", disse, esclarecendo que a Secretaria de Estado de Saúde (Sespa) precisa de aplicar as emendas, porque são os Centros as portas de entrada para o cidadão fazer seu tratamento".


Leis de Proteção


A preocupação com a segurança nos shoppings centers e de outros espaços de grande circulação de pessoas, motivou os deputados Fábio Freitas e Dr Wanderlan Quaresma a proporem projetos que obrigam esses estabelecimentos investirem em sistemas de proteção. Os projetos foram protocolados na Mesa Diretora e serão encaminhados às comissões para serem analisados e depois votados em plenário.

Deputado Fábio Freitas
O deputado Fábio Freitas disse que em 2019 enviou moções aos órgãos de segurança, à Sespa e ao Ministério Público solicitando providências nos casos envolvendo suicídio na capital: "É impossível que locais como esses não tenham proteção. Em conversa com o delegado-geral da Polícia Civil, Walter Resende, e Comandante-geral da Polícia Militar, Dilson Júnior, expliquei a necessidade de fiscalizar esses locais. É preciso investir em medidas de proteção, o custo será menor do que o custo de uma vida", comentou Fábio Freitas.

Deputado Wanderlan Quaresma
Já para o deputado doutor Wanderlan, "Esse projeto obriga os shopping centers instalarem telas de proteção em grandes altitudes nas áreas internas e externas. Essas medidas já se mostram eficazes em outros estados que passaram por problemas semelhantes. O aumento na altura de parapeitos, o isolamento de algumas áreas que oferecem risco de queda e o aumento na vigilância são importantes para garantir maior segurança nesses locais", justificou Dr Wanderlan.

 

Realidade - Segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) cerca de 1 milhão de pessoas morrem todos os anos no mundo vitimadas pelo suicídio, o que resulta em taxa global de 16 casos por 100 mil habitantes.
No Brasil, segundo dados do Ministério da Saúde, a taxa de mortalidade por suicídios é de 4,5 casos para cada grupo de 100 mil habitantes, ou seja, cerca de 8 mil suicídios são praticados todos os anos em nosso país, sem contar os casos de tentativa, sendo o suicídio hoje uma das três causas mais frequentes de morte entre homens e mulheres entre 15 e 44 anos.


De acordo com o Ministério da Saúde, a prevenção do suicídio requer o esforço de todos: família, amigos, colegas de trabalho, membros da comunidade, educadores, líderes religiosos, profissionais de saúde, funcionários políticos e governos, bem como requer estratégias integrativas que englobem o trabalho no nível individual, de sistemas e da comunidade.


Onde procurar ajuda - O Hospital Gaspar Vianna é referência no atendimento em urgências e emergências psiquiátricas no Estado.

Informações pelo Telefone: (91) 4005-2500.

Mas existem outros órgãos que atendem casos de pessoas com sintomas de depressão e doenças psicológicas como o CAPS e Unidades Básicas de Saúde, UPA, SAMU 192, além do Centro de Valorização da Vida (CVV) - Disque 188.

 

Reportagem: Mara Barcelos 

Palácio Cabanagem - Rua do Aveiro,130 - Praça Dom Pedro II, Bairro Cidade Velha - 66020-070
(91) 3213-4200
AID - Assessoria de Imprensa e Divulgação - Email: imprensa@alepa.pa.gov.br | Sistemas
Ouvidoria: ouvidoria.alepa.pa.gov.br

Todos os Direitos reservados | 2019